Publicações OAB-GO

13/01/2022 20:00

Sob o anúncio de novos projetos e a defesa dos direitos humanos, Rafael Lara Martins torna-se o 27º presidente a dirigir a OAB-GO

Em cerimônia prestigiada, o advogado Rafael Lara Martins tornou-se na noite desta quinta-feira (13 de janeiro) o 27º presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO), em seus 91 anos de história, e o primeiro oriundo da área trabalhista a dirigir a entidade.  

Na solenidade de posse, realizada no CEL da OAB, que contou com a participação de representantes dos três Poderes estaduais, também foram empossados quatro diretores (clique aqui e veja o perfil de cada um), os 88 novos conselheiros seccionais, titulares e suplentes; além da nova diretoria da Casag (clique aqui e veja a composição), para o triênio 2022-2024.

Em seu discurso, o novo presidente da OAB-GO anunciou projetos de sua gestão, voltado ao empreendedorismo e às condições de acesso e permanência no mercado de trabalho para os profissionais em início de carreira e para a advocacia sênior. 

Reafirmou o papel da OAB-GO na defesa das prerrogativas da advocacia e o respeito ao exercício da profissão como bandeiras supremas; fez a leitura conjuntural das mudanças impostas à carreira pela pandemia e a necessidade de intervenção da OAB-GO; destacou o papel da Seccional na luta pela redução das custas judiciais e extrajudiciais, além de seu protagonismo e independência em relação aos Poderes constituídos.

Ainda na cerimônia, que contou com a visualização simultânea de 370 pessoas pelo Canal da OAB-GO no YouTube, destacou a promoção de um modelo de gestão unificado e integrado com a Casag; a defesa dos Direitos Humanos; e avaliou o papel da Seccional nas eleições que acontecem neste ano.

Emocionado, Rafael ainda lamentou a ausência das diretoras Talita Hayasaki (secretária-geral) e Fernanda Terra (secretária-geral adjunta), que não puderam comparecer à cerimônia. Reforçou o espírito de união e disse que manterá o grupo escolhido pela maioria da advocacia para trabalhar em seu favor, unido.

“Prometo muito trabalho e compromisso. E um grupo unido e que todos os dias se fará uma única pergunta antes de qualquer medida a ser tomada: “é bom para a advocacia”?  Com o trabalho de cada um de vocês, tenho certeza que faremos uma grande gestão à frente da OAB Goiás”

Veja os principais trechos do discurso de posse:

Respeito à advocacia
Vivemos tempos estranhos. Em que querem fazer acreditar que a advocacia é dispensável.  A Ordem não vai esmorecer um único minuto. Lutaremos intransigentemente pelas prerrogativas e respeito à advocacia. Não permitiremos que uma minoria absoluta de violadores de prerrogativas manche os nomes das instituições no desrespeito ao advogado. Para cada desrespeito teremos, além de todas as medidas tradicionais e já realizadas pela Ordem, uma medida correcional no órgão de quem desrespeitou a advocacia: do estagiário ao presidente, responderão tantas vezes quantas forem necessárias, pois A Advocacia será respeitada!

Mercado de trabalho
Se o futuro é agora, precisamos preparar a advocacia para tanto. Por meio da nossa Escola Superior de Advocacia e de todos os projetos que visam estar ao lado da advocacia jovem, da advocacia estabelecida e da advocacia sênior. Já no início da gestão queremos colocar em prática projetos que certamente revolucionarão a relação da advocacia goiana com o empreendedorismo e mercado de trabalho: a incubadora de novos escritórios; o planejamento de carreira e o networking, que é a promoção do encontro de quem busca um lugar com aqueles que buscam pessoas.

Custas judiciais
Não nos furtaremos de trazer para a mesa da presidência da OAB um dos maiores desafios que enfrentaremos: o alto valor das judiciais e cartorários de nosso Estado. Enfrentaremos esse tema com toda a energia necessária, cientes da sensibilidade e dificuldades que nos serão postas. Mas o faremos com sabedoria, discernimento e diálogo, na busca de uma solução que impacta não apenas o mercado de trabalho da advocacia, mas que principalmente cerceia o acesso da população à justiça e sangra o setor produtivo judicial e extrajudicialmente. 

Gestão unificada Casag
O que temos em nossos bolsos são carteiras da OAB e não carteiras de ESA, Comissões ou CASAG. Temos um sistema e queremos dar exemplo a todo País. Por isso que adianto, desde já, nobres diretores do CF, teremos em Goiás uma gestão modelo de sistema OAB unificado, com a Casag e todos. 

Direitos Humanos
Também não posso deixar de falar sobre Direitos Humanos. Tema esse que para mim é tão especial e que tem sido, infelizmente, maltratado nas acepções ideológicas. Tenho e defendo que falar em Direitos Humanos não pode afastar a direita nem ser pauta exclusiva da esquerda.  A dignidade da pessoa humana é inegociável e sem viés partidário ou ideológico, trazer essa pauta para o centro do debate da Ordem chega a ser minha obrigação como doutorando do assunto. E isso jamais será discurso – nem para aplausos e muito menos para oportunismos. Temos aqui a primeira mulher trans eleita como conselheira no Brasil – Amanda Souto – e que muito representa para a pauta, mas que aqui se faz presente hoje pela advogada aguerrida e liderança que é. Essa é a representação do que pensamos – passar sempre pelo mérito!

Eleições 2022
O grande desafio social e político da Ordem, especialmente nesse ano de 2022, em que se aproximam grandes eleições e que prometem ser uma das eleições mais desafiadoras que já tivemos. Em tempos de fakenews, tão presentes em todos os momentos e certamente balizadoras de pautas reais e inexistentes na política(...). E esse será um dos grandes desafios da Ordem: buscar o equilíbrio em suas posições e isenção política de sua atuação institucional. Seja lá de onde vier, de que partido for, não se tolerará, ataques à nossa democracia e Constituição Federal.

Independência institucional
E mesmo distantes das eleições, a Ordem será sempre independente e distante dos palanques político-partidários. Teremos a distância saudável de todos os poderes, com proximidade suficiente para o diálogo necessários para se construir, mas distância adequada para o endurecimento nas pautas que forem necessárias, sempre com respeito institucional e admiração das lideranças que temos aqui em Goiás. Em nosso grupo temos a representação de praticamente todas as ideologias políticas do Estado e com respeito e construção mútua construiremos essa ordem sempre independente.

Pandemia e mudanças de paradigmas à advocacia
A pandemia nos impõe a reinvenção da forma como estávamos a acostumados a trabalhar, a estudar e até mesmo a viver. Esses desafios batem à porta da advocacia. Esses desafios batem à porta da Ordem. Se há seis anos o clamor da advocacia era por respeito à nossa instituição – em todos os sentidos (desafio muito bem superado pelas duas gestões que passaram do nosso presidente Lúcio) – hoje o clamor da advocacia se dá para as condições de trabalho.

Agradecimentos
Eu sonhei com esse dia. E não poderia deixar de começar esse discurso de outra forma. Olhar pra trás e imaginar que aquele menino simples do Bairro Popular chegaria à Presidência da OAB seria daqueles devaneios bobos das crianças que sonham acordadas – com os sonhos distantes da realidade. Eis que estamos aqui!Mas acredito muito que nessa vida, nada se constrói sozinho. O egoísmo de lutas solitárias não prospera. E comigo não foi diferente. Minha vontade hoje é usar minha fala tão somente para agradecer. Agradecer muito – a tudo e a todos, por tudo, pelos bons e pelos maus momentos – afinal, esses nos fazem forte.

Gestão Lúcio Flávio
Em seu nome, Lúcio Flávio, homenageio todo nosso grupo que construiu junto e em sintonia, de agora e dos últimos seis anos. Gratidão eterna a cada um de vocês! E estendo esse sentimento não apenas à chapa eleita, mas a cada um de vocês que aqui está e que passaram alguns meses em nossa longa caminhada para chegarmos até aqui. Da base jovem à advocacia sênior, todos, sem exceção, muito muito obrigado!

Compartilhar / imprimir: