Publicações OAB-GO

12/09/2019 13:00

Em apoio ao Setembro Amarelo, OAB-GO debate políticas de valorização da vida

Para reforçar as políticas de apoio de valorização da vida, a Ordem dos Advogados dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO), por meio de sua Comissão Especial das Voluntárias Advogadas (CEVA), realiza no próximo dia 30 (segunda-feira), o II Simpósio Comunicar e Cuidar: Estratégias de Valorização da Vida.  

O evento, que acontece no auditório Eli Alves, na sede da Seccional, a partir das 13h30, marca o encerramento do Setembro Amarelo, mês dedicado à prevenção do suicídio, e tem por objetivo reforçar o apoio à política de maior diálogo pela valorização da vida. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site da ESA (clique aqui e faça sua inscrição). 

Esta é uma parceria com Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (Casag), Escola Superior de Advocacia (ESA), Comissão de Direito Médico, Comissão da Mulher Advogada, Comissão da Advocacia Jovem (CAJ) da OAB-GO. O evento conta com o apoio de representantes de entidades como CVV, Instituto Olhos da Alma Sã e universidades.

Debatedores

Nesta segunda edição, o simpósio contará com quatro debatedores e uma oficina de escuta compreensiva (técnica de diálogo com pessoas em estado de extremo sofrimento). Na abertura, o psiquiatra Mauro Mendonça vai explica sobre a necessidade de comunicar e Cuidar e seus aspectos médicos, sob mediação do também psiquiatra Luiz Antônio Paiva.

Logo em seguida, é a vez do psicoterapeuta Marcelo Machado de Albuquerque debaterem sobre “O Que o coração não sente, os Olhos não Vem”, sob a mediação do psicólogo Jorge Antônio Monteiro Lima. Encerrando os debates, o voluntário do CVV, José Fernando Tolentino, vai falar aos presentes sobre a sua vivencia ajudando a salvar vidas.

Oficina

Os participantes ainda terão oportunidade de aprender técnicas para ajudar pessoas em situação de extrema angústia. A presidente da CEVA e organizadora do evento, Cecília Aires, que fará a palestra de encerramento, explica a importância desta vivência.

“Será um momento de oportunizar a aprendizagem de importantes ferramentas, que podem ser utilizadas em momentos de crises, especialmente com referência à escuta compreensiva, que é de extrema importância para ajudar a salvar vidas”, afirma.

Compartilhar / imprimir: