Publicações OAB-GO

28/12/2016 11:00

OAB-GO parabeniza Polícia Civil pela prisão do suspeito de matar o advogado Edir Peter Chatier

A Comissão de Direitos e Prerrogativas da OAB Goiás (CDP/OAB-GO) foi informada na tarde desta terça-feira (27), pela equipe da Polícia Civil capitaneada pelo delegado Murilo Gonçalves, sobre a prisão, na Cidade de Goiás, de Adão Albuquerque Batista, um dos supostos autores do assassinato do advogado Edir Peter Chartier, no último dia 13.

Segundo restou apurado, até o momento, pelo delegado Murilo Gonçalves, o advogado Edir Peter havia se deslocado para o município da Araguapaz (GO) em representação à sua cliente e na companhia de Jeymes Gouveia da Silva (ex-marido de sua cliente), no intuito de firmarem um acordo com Adão Albuquerque, o qual encontrava-se acompanhado de seu advogado, Olivier Pereira de Abreu.

A Comissão de Direitos e Prerrogativas, após tomar conhecimento do crime, pelo seu presidente Érlon Fernandes, designou a criação de uma subcomissão composta pelos advogados Sávio Borges, Emílio Fernandes, Maísa Lima e Márcia Povoa, que deslocaram até o município de Morzalândia para acompanharem de perto a condução do inquérito.

"A subcomissão também logrou êxito na coleta de documentos importantes para elucidação do caso; dentre eles, as gravações telefônicas das ameaças sofridas por Edir Peter em razão da sua atuação profissional nas ações judiciais movidas contra Jeymes Gouveia da Silva e Adão Albuquerque, os quais serão entregues ao delegado responsável pelas investigações nos próximos dias", explica Érlon.

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional do Estado de Goiás, na pessoa de seu presidente Lúcio Flávio Siqueira Paiva, desde logo agradece e engradece à competente atuação do delegado Murilo Gonçalves de Almeida, titular da Delegacia do município de Mozarlândia-GO, bem como da equipe de agentes da Polícia Civil da Cidade de Goiás, na pronta resposta ao bárbaro crime perpetrado contra a vida de um advogado em pleno exercício profissional.

"A atuação da Polícia Civil tanto no caso Edir Peter, como no caso do Walmir da Cunha, demonstram o grau de comprometimento para com a Advocacia, o Poder Judiciário, por conseguinte, com o povo goiano", reforça Lúcio Flávio. 

(Assessoria de Comunicação Integrada) 

Compartilhar / imprimir: