Publicações OAB-GO

19/03/2019 09:00

Representantes da OAB-GO debatem combate a relacionamentos abusivos

A identificação de relacionamentos abusivos é uma forma eficaz de combater o ciclo de violência contra a mulher. Esta foi uma das teses debatidas durante o evento “Salve Marias - Relacionamento Abusivo e a Proteção Jurídica à Mulher”, realizado pela ESA, na noite desta segunda-feira (18 de março) e que contou com a participação de representantes da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Goiás (OAB-GO).

A presidente da Comissão da Mulher Advogada (CMA), Ariana Garcia, diz que o evento é uma iniciativa importante porque são inúmeros os casos de violência contra a mulher, que começam em meio a relacionamentos abusivos não identificados em um primeiro momento, levando à mulher ao ciclo da violência e culminando com sua vitimização.

"Nesse sentido, a identificação dos relacionamentos abusivos e o tratamento jurídico envolvido assume relevância para operadores do direito, sobretudo a advocacia, mas também estudantes e sociedade. A OAB-GO começa o ano engajada em fazer a diferença na luta contra a violência de gênero."

Dever

A secretária-geral adjunta da OAB, Delzira Menezes, destacou o papel da OAB em propor temas como este. “Nosso objetivo é promover a cidadania e garantir o empoderamento da mulher. Combater todas as violências de gênero é uma forma de garantir a isonomia e igualdade, além de cumprir nosso dever constitucional”, destacou.

A defensora pública do Estado de Goiás, Tatiana Maria Bronzato abordou o conceito, características e formas de atuação no relacionamento abusivo, e ainda, destacou a dificuldade de reconhecer-se em um destes relacionamentos. “A pessoa que está sofrendo abuso, por estar em uma situação vulnerável e fragilizada, às vezes não é capaz de discernir os sinais de que está em um relacionamento abusivo”, afirmou.

Identificação

A vice-presidente da CMA, Lana Castelões, destacou como identificar sinais de um relacionamento abusivo:  “Se em uma conversa é comum ele fazer você sentir que não entende nada, ou que está sempre errada; Se ele se acha no direito de controlar a sua vida e as suas escolhas; Se ele não respeita os eu não. Esses são alguns dos traços de um relacionamento abusivo”, afirmou.

A vereadora Cristina Lopes Afonso, por sua vez, destacou a necessidade de todas as mulheres unirem esforços para combater a violência dos homens. “Agressão à mulher é inaceitável e precisa ter um fim”, disse a vereadora, que teve 85% do corpo queimado por um ex-namorado.

A presidente da subseção de Trindade, Neli Carita, ressaltou a importância. "É importante que a OAB leve essa discussão para todo o Estado, reafirmando seu direito a vida e de combate a violência. A subseção de Trindade reafirma a importância dessa ação", destacou.

Ainda participaram do evento, pela OAB-GO: a conselheira seccional e diretora-adjunta da ESA, Luciana Lara;  a secretária-geral da Casag,  Valéria Menezes; a presidente da subseção de Jaraguá, Ana Karla Matias; as conselheiras seccionais Eliane Simonini, Larissa Bareato, Maura Domiciana, Márcia Póvoa, Sara Mendes, Cláudia Pereira, Bárbara Cruvinel, Flávia Mendanha e Maria Izabel dos Santos.

A coordenadora Nacional do Movimento Negro Unificado, Iêda Leal; a deputada estadual Leda Borges; a representante do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da Comarca de Aparecida de Goiânia, juíza Marcella Caetano da Costa.

Campanha

Durante o evento, a OAB-GO lançou uma campanha de combate ao relacionamento abusivo, por meio de um vídeo de 2 minutos. A ideia é alertar as mulheres e dar condições a elas de identificarem tal situação nas relações cotidianas. O vídeo será vinculado nas redes sociais e site da Seccional.

Compartilhar / imprimir: